Empreendimentos comerciais crescem no Sul da Ilha

Há cerca de 15 anos atrás o Sul da Ilha era um local tranquilo e com pouca infraestrutura, sofria com problemas como o acesso por conta da falta de pavimentação, o transporte público, poucas opções culturais e de comércio, em contrapartida possuía terrenos com preços mais acessíveis do que nos demais bairros da Capital.

Em meados de 2000 a região abrigava muitas “casas de praia”, utilizadas nos finais de semana por aqueles que já moravam no centro ou continente e trabalhavam por lá. De lá para cá a população da cidade cresceu aproximadamente 11% (de 421.240 para 469.690) e neste período o crescimento de moradores no Sul da Ilha foi intenso (e continua). - Fonte IBGE.

Grande parte dos novos moradores chegam de fora do estado, principalmente de São Paulo e Rio Grande do Sul, e trazem a busca por qualidade de vida e tranquilidade. Estes trouxeram também a necessidade de infraestrutura e serviços de qualidade na região, que se adapta de forma gradual ao seu crescimento.

A atual situação econômica do País, aliada à procura individual pela qualidade de qualidade de vida, faz com que a todos se adaptem, no intuito de reduzir custos, além de diminuir tempo e stress em trânsito (por exemplo), o que resulta no aumento da procura morar próximo ao local de trabalho.

Por estes motivos vemos o atual crescimento de empreendimentos imobiliários no Sul da Ilha, e consequentemente a mudança de diversas empresas para a região em busca de empregados motivados pela qualidade de vida.

Como exemplo temos a previsão (próximo ano) da implantação na Rod. SC 405, de um grande Atacadista.  O terreno já está comprado e o grupo que o administrará aguarda um momento propício para o início das obras. Divulgou a fonte do grupo, que pediu-nos  sigilo de sua identidade.

Além deste diversos empreendimentos comerciais chegam, como o prédio da THE WAVE que abriga a redação DuCampeche, o MULTI (nossa futura morada), complexo empresarial Castanheiras e diversos outros na Av. Campeche e Pequeno Príncipe.

É importante coordenar e cumprir a legislação que  prevê tal ocupação,  (zoneamento destinado aos empreendimentos  em construção) , como garantias para a sociedade e aos que investem seu capital na aquisição de imóveis comerciais. Mas também repensar ações e políticas que possam melhorar a qualidade de vida populações que habitam no entorno aos empreendimentos, considerando todos como moradores da mesma área urbana.  Este o é sincero desejo da população tradicional da região Sul, na qual participa ativamente, como já observado em outras matérias do Portal nos depoimentos das suas lideranças.

Em entrevista exclusiva ao Portal DuCampeche, Geraldo Abud Rossi Diretor da BLU – Urban Thinking – empresa de inovação e inteligência imobiliária, traça o perfil de negócios imobiliários voltados para a locação:

DuCampeche:

Há a percepção, de que aumenta a oferta de imóveis para locação comercial no bairro, a que se deve este crescimento?

Geraldo Abud Rossi:

“O crescimento comercial naturalmente precede o crescimento residencial. É isso que está acontecendo aqui, a população do Campeche e do entorno cresceu muito nos últimos anos, estamos com 30.000 moradores no distrito do Campeche e uma carência muito grande de comércio e serviços. Ainda temos que nos deslocar até o centro para encontrarmos médicos, oftalmologistas, pediatras e muitos outros serviços e também produtos. A tendência é que isso acabe com os novos empreendimentos que estão surgindo...”

DuCampeche:

O que está por vir aqui no Campeche?

Geraldo Abud Rossi:

“Muita coisa está para acontecer aqui na região devido ao crescimento. E isso é muito bom, pois traz sustentabilidade ao bairro, menos necessidade de grandes deslocamentos. A BLU, por exemplo, está desenvolvendo quatro Malls que reunirão lojas, escritórios, restaurantes, academias, bancos e muito mais. Um deles está sendo inaugurado agora na esquina da Pequeno Príncipe com a Rua Vento Sul, chama-se Quartier Campeche. Ainda temos o Multi, na SC 406 que será o grande ponto de encontro da região a partir do ano que vem e o Passeo Campeche na av. Campeche esquina Rua da Capela...”

DuCampeche:

Os imóveis comerciais à venda seguem o panorama de queda nos preços encontrados nos empreendimentos residenciais?

Geraldo Abud Rossi:

“Não existe queda de preços nos imóveis residenciais, o que está existindo são algumas oportunidades de pessoas que estão precisando vender com urgência e que baixam os valores. Os imóveis comerciais seguem na mesma linha. Até porque tanto os imóveis comercias como os residenciais aqui no Leste e Sul da Ilha são poucos e a procura continua grande.”

DuCampeche:

Os proprietários e investidores que procuram este tipo de imóvel estão procurando por recursos específicos e comodidades?

Geraldo Abud Rossi:

“Sim. O sonho de todo mundo é trabalhar perto de onde mora, aliás, essa é a tendência mundial de sustentabilidade. Hoje vivemos um transtorno aqui na região. - Há médicos, por exemplo, que moram aqui e vão atender no seu consultório no centro pacientes que também moram aqui... - Há profissionais liberais e comerciantes querendo abrir negócios aqui, mas há muita falta de espaço físico, seja por falta de investimentos, seja por proibições legais de zoneamento municipal.”

DuCampeche:

A agitação do mercado do Rio Tavares, pode influenciar positivamente outros bairros ao entorno como Lagoa da Conceição, Costeira do Pirajubaé e até o Trevo do Erasmo?

Geraldo Abud Rossi:

“Sim. A tendência é que todos esses bairros se desenvolvam com infraestrutura comercial e de serviços. Mas é importante que a prefeitura acompanhe esse crescimento, com infraestrutura básica como calçadas, ruas, esgoto, transporte etc...”

Em entrevista ao DuCampeche, o corretor de imóveis, Diego Pimentel, à frente das vendas do maior Centro Comercial do Rio Tavares, o “MULTI”, localizado às margens da Rod SC-406, antecipa um crescimento nas vendas, (na ordem geométrica)  convicto de que que passa a seus clientes, a real oportunidade  de lançarem  mão de seu capital em um negócio seguro. O momento propicia a solidez e a rentabilidade a médio prazo e atrai progressivamente, cada vez menos oportunidades como as que oferece:

“A fase de planejamento viário foi concluído e sua concepção está em ritmo acelerado. (duplicação da SC406, elevado Rio Tavares e novos  acessos ao Terminal aéreo) A localização   privilegiada impulsiona a consolidação setor terciário.  Os transportes, o  comércio, serviços de manutenção e conservação, a educação, consultórios médicos, as telecomunicações, os  serviços de informática, empresas  de seguros,  serviços de limpeza, serviços de alimentação, turismo, serviços bancários e administrativos, são os que mais crescerão, acredito”.

DuCampeche

Qual perfil dos novos empresários do setor que buscam fixar-se na região?

Diego Pimentel:

“Estudos realizados anteriormente ao empreendimento,  já sinalizavam um sucesso nas vendas, pela seleção de perfil dos compradores... - Negociamos mais da metade das unidades em poucos dias, após o lançamento do empreendimento...- A procura de lojas e salas comerciais é de dentistas, advogados, representantes, escolas de línguas e dança, dermatologistas , de comerciantes no ramo da alimentação, profissionais na área de tecnologia...”

Em entrevista, Rodrigo César Caudi, gerente da  Imobiliária Habiflex, complementa:

DuCampeche:

O padrão de construção dos imóveis, nesta região é superior, (alto padrão) são concebidos  projetos sofisticados, onde o consumidor busca não só o imóvel mas uma infraestrutura melhor e mais completa?

Rodrigo C. Caudí:

"O padrão de construção vem se elevando mais. Estamos trabalhando em um nível, de excelência compatível o de outras praias de alto padrão de construção. Isso é bom, porque valoriza o bairro, traz novos investimentos, traz clientes qualificados (com liquidez), gera benefícios para o bairro, se ampliam os serviços e o poder público se obriga a oferecer um serviços de utilidade publica de melhor qualidade. O Poder Público volta-se mais para o bairro, pois a elevação do padrão de qualidade é resultado de um investimento privado.  Quanto maior o aporte, induz-se uma infraestrutura de melhor qualidade também."

DuCampeche:

Quanto ao esfriamento da economia neste primeiro semestre, devido a restrições de crédito, como se comporta o mercado quanto aos financiamentos ?

Rodrigo C. Caudí:

 "Eu diria que esta havendo uma adequação, pequena. Os valores podem cair em um primeiro momento, porém como é um espaço finito a tendência é de elevação de preços numa segunda etapa. Famílias economicamente mais estáveis, agora querem morar no Campeche... Neste momento da economia não é bom partir para o financiamento. O ideal é que o cliente use seus próprios recursos, para se efetuar os pagamento  à vista."

DuCampeche:

No mercado Comercial, a região é uma candidata a se tornar um polo de serviços e vertentes especializadas e sofisticadas, mediante ao grau de condições financeiras dos novos habitantes ?

Rodrigo C. Caudí:

"Esta é uma tendência que acompanha o desenvolvimento do bairro. Conforme o bairro vai recebendo mais moradores, a parte de serviços e comercial vai aumentando quantitativamente, para se acompanhar esta demanda."

O empresário Felipe Coin, proprietário da Santa Ilha Imóveis, e tem uma perspectiva ainda melhor, enquanto a turbulência projeta uma grande expansão nos negócios imobiliários da região:

"A região, como um todo, tem forte atrativo para a construção civil. Obras estão avançando para acompanhar o desenvolvimento que se espera para a região. Isso mantém a expectativa do mercado para um aumento de fechamento de negócios sem interferência da economia  financeira. Os preços dos imóveis estão abaixo do que ainda estarão posicionados em um futuro muito próximo... Os Bairros do Rio Tavares, Porto da Lagoa e Campeche tem  "saúde financeira e econômica boa".

"Não houve abalo considerável. Não sofremos influência da economia. Florianópolis, por não ter a característica e a presença maciça de um parque industrial, como em outras localidades da Metrópole, está excluída da área de influência das crises financeira, econômica e política do plano federal. Por isso não há profundidade no impacto econômico. A região recebe aporte financeiro privado e público."

DuCampeche:

Como o Sr. vê o panorama da locação comercial no Sul da Ilha, os aluguéis estão realmente baixando seu valores?

Filipe Coin:

 "Não vejo este  cenário. Os valores são estáveis, mas não retrocedem. O momento é de empreender no comércio. A pesquisa é direcionada e a excelência de atendimento amortizam ônus do aluguel.  Resultados de sucesso em vendas, no varejo e nos serviços atrelam-se à demanda crescente. Alguns empreendimentos nem bem estão com o acabamento concluído e suas unidades comerciais já estão alugadas..."

DuCampeche:

O Sr. Poderia classificar a região no termos em que a ocupação social está se formando?

Felipe Coin:

"O Campeche e já é um bairro de médio/alto padrão. Tem um crescimento dimensionado para um comércio qualificado, que se atualiza juridicamente a padrões cosmopolitas. (Habite-se, alvarás)

"É uma adaptação que todos estamos passando. A oferta de imóveis para a locação e compra certamente aumentará numa proporção nunca imaginada..."

"Já somos o bairro mais procurado, com maior número de projetos. Imagine Você, o impacto positivo, quando toda a infraestrutura  estiver pronta, modernizada, com bancos privados, com a conclusão das vias de acesso (obras viárias) e serviços básicos combinados a ela...(redes de esgoto e água, coleta seletiva de resíduos sólidos e orgânicos e drenagem). Sem falar no parque, - PACUCA-idealizado para dar o maior espaço público do Sul da Ilha... "

 "O turismo, como geração de renda e empregos  será o primeiro a beneficiar-se desta economia emergente. Todos que aqui estão ganharão em qualidade de vida".

Em compasso e tom semelhantes Jeison Quraitem, Diretor Geral da Imobiliária Premium comenta:

"O Campeche é uma área privilegiada. Sua infraestrutura está sendo ampliada. O plano diretor favorece oque já está construído. A crise econômica (crise fiscal) não afeta o Sul da Ilha. Temos um mercado próspero e em crescimento".

DuCampeche:

Os juros cairão, assim que um fôlego na economia (pós ajuste fiscal) indicar que já estamos nos trilhos do crescimento, como observado anos antes ? ( PIB 2,5% ao ano) .

Jeison Quraitem:

"É difícil rever com exatidão a diminuição da taxa Selic. Ainda vejo um período de dificuldades se estendendo, mas já aprendemos outras vezes, a sair de crises. A taxa de juros não deve oscilar para baixo. O nível cambial estabelecido, tenta proteger as exportações e inflar nosso caixa. A partir daí sim, com o aumento das reservas em moeda americana no País, poderá estabilizar a taxa Selic.”

O controle da inflação através da taxa Selic não interrompe o  bom momento da construção civil em Florianópolis. O quadro local está longe de apresentar sinais negativos em razão da crise. A influência da economia passa longe dos canteiros de obras. Este panorama indica a independência que o setor imobiliário atravessa na região?

Jeison Quraitem:

"O nosso mercado imobiliário faz dueto mais com o de Dubai, do que o de São Paulo. As Construtoras daquele estado, não obtiveram receita suficiente para o custeio da obra, e em decorrência disso algumas estão paralisadas, inversamente à oferta de mercado, que por lá, está superdimensionada.... Em Florianópolis, todas as obras serão entregues na média de prazos. As construções tem padrões de acabamento elevadíssimo, em consonância com o nível de construção de bairros planejados de Florianópolis".

DuCampeche:

Qual sua visão sobre o desenvolvimento da região, e  da responsabilidade dos Órgãos Públicos, na  ampliação da infraestrutura que dê sustentação à rápida consolidação do crescimento da ocupação urbana, no Sul da Ilha? De que maneira isso influi na valorização do negócio imobiliário?

Jeison Quraitem:

"Este ponto é fundamental para o crescimento ordenado. Admiro o Portal de DuCampeche, por levantar questões que tragam uma melhoria, e fazer um questionamento sobre oque é definitivamente prioridade para a Comunidade.  Melhoria dos serviços públicos é também trazer mais Escolas profissionalizantes, dar mais opções de atendimento com qualidade na Área da Saúde e aprovar projetos que destinem recursos para a concepção do PACUCA (Parque Cultural do Campeche)... Ou seja, ter consciência de que precisamos fazer mais do que reclamar, pela mudança na situação ambiente em que vivemos. A partir disso, acredito que desfrutaremos com qualidade de um lugar que escolhemos morar. Só acreditando é que se consegue chegar de fato, a um objetivo maior.

O Gerente da Imobiliária Hot Imóvel, Diego Serentini,  também foi ouvido em entrevista sobre o investimento imobiliário no Campeche e nos bairros vizinhos:

“Vejo o Campeche e os bairros próximos, como um mercado muito promissor. - Estamos em uma Ilha, e a terra é finita... Terras próximas ao mar, em sua maioria já tem novos donos... Espaços com escritura pública são pouquíssimos. O consumidor de imóveis vem procurando ter a segurança jurídica da escritura e os registros, porque grande parte precisa de um apoio de bancos para o financiamento.  O volume de vendas é grande, apesar  da crise noticiada em jornais e na televisão...  Aqui em Florianópolis, o andar da carruagem está na contramão dos índices e de sua repercussão: Por ser uma Ilha paradisíaca, a onde as terras são territorialmente restritas, o Campeche e a Ilha como um todo, está apresentando excelentes oportunidades de investimento no mercado  imobiliário... É o lugar ideal para as pessoas aproveitarem a vida, ter um imóvel à beira mar e usufruir com prazer e qualidade".

Conclusão:

Nós do Portal DuCampeche acreditamos que o crescimento é positivo, inevitável e favorável à geração de empregos, melhora na infraestrutura e serviços, o que resulta na melhora da qualidade de vida.

A nossa missão como Portal é informar e unir os moradores representados pelas Associações de Bairro, Empresários e Órgãos Públicos, com esta tríade unida teremos o crescimento ordenado e em sinergia com os interesses de todas as partes.

Respeitamos muito a articulação e mobilização dos atores das Entidades de classe, organizadas da sociedade e da luta da Politica Pública da Reforma Urbana, que entre elas estão como principais: a Urbanização e Planejamento Urbano, Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Saneamento Básico, Mobilidade Urbana e Transporte Coletivo, Gestão e Controle Social. Que constituem-se, portanto, os espaços institucionais fundamentais para a construção democrática das políticas públicas e exercício da participação e legitimidade social.

 A Cidade somos Nós. Remamos no mesmo barco, guiado pela vontade de viver em um Mundo melhor. Sigamos juntos!

Redação DuCampeche

Fotos: Márcio Papa